segunda-feira, 17 de março de 2014

Reforma - "Salas Cachimbo": dicas | Renovation - "Pipe Livings": tips



Frequentemente construídas na segunda metade do século passado, as “salas cachimbo” eram aquelas onde a janela ficava disposta em um pequeno jardim de inverno, por um modismo da época – para conservar plantas delicadas, tocar piano, ter uma área  reclusa de leitura.  Logo se percebeu que este “charme” de ter uma área aconchegante próxima as janelas traria um alto preço: baixa luminosidade, deficiências na circulação de vento e sensação de clausura aos moradores. Décadas depois, o forte retorno da obsessão por varandas na arquitetura carioca retirou de cena de vez este tipo de sala.

Com o boom da valorização imobiliária de Copacabana e do Rio como um todo, e o envelhecimento natural/falecimento de uma geração inteira de moradores pioneiros de Copacabana - entre seus 70 a 90 anos - o bairro mais famoso do Brasil vem atravessando uma modernização e mudança do perfil dos moradores. No caso do apartamento que apresentamos a seguir, o principal ideal do projeto era trazer luz a “sala cachimbo” através da reforma da estante embutida existente: Sugestão de espelho ao fundo para dar a sensação de que existiria algum ambiente atrás do recorte. Também será feito laqueamento das madeiras da mesma e criação de 2 portas de correr com vidro e treliças para guardar vidros e cristais de família.

Outro ponto foi o espelho posicionado ao lado da janela, para dar impressão de tamanho dobrado a mesma. De resto, o projeto buscou aliar elementos antigos existente dos clientes contrastados com artigos contemporâneos, deixando com ar leve e atual. Vejam o estudo preliminar de como pretendemos que fique:

 

 
        "Sala cachimbo" - afinamento próximo a janela e o móvel embutido que vai ter espelhos para ampliar e o espaço.
 "Pipe living" - straightening nearby the window and the built-in shelter that'll receive mirrors to enlarge the area.

 
Sala  recorrente em Copacabana e seu formato, razão pela qual foi apelidada de cachimbo
Often seen in Copacabana, the pipe living room receives this name due to it's shape.
                           
                               
          

          
               Mais luz através de espelhos e madeiras claras. Artigos contemporâneos para contrastar com objetos antigos
              More light through mirrors and lighter woods. Contemporany objects to constrast with old relics              






Often built at last century’s second half ,  the “pipe living rooms”  were those where the window used to be set in a small part of the room called “winter’s garden”, as it used to be fashion to keep delicate plants, play piano or even read in those areas. Soon people realized that this “charm” – have a cozy area nearby the window – could represent some damages to the place’s environment: low luminosity, Wind circulation deficiency and the closing up sensation. Decades later, the obsession for balconies at Rio de Janeiro’s  came strongly back again, taking out of scene these kind of living room at all.

As a result of the increasing prices of Copacabana and Rio at all, and the natural aging/passing of the first generation of Copacabana habitants - between their 70 to 90 years old - the most famous neighborhood  of Brasil is passing through a whole process of modernization and changing of the stereotype of it's habitants. In the specific case of this apartment that we show next, the larger goal of the project was bring light to the "pipe living" by renovating a built-in shelter that was already placed there: It was suggested to put a mirror at it's back to pretend that there was more room behind of it. It also'd have it's wood painted on paint pump technique and 2 new doors built in sliding wood structure with glasses and brises to stock up family's crystals and glasses.

Another thing was to place a mirror just beside de window, to make up that it has the double of the size. 
In the end the project wanted to connect old existing family's relics contrasted with contemporary objects, letting it with a fresh and updated look. Take a look on the preliminary study to see what we expect it to end up as.

Nenhum comentário:

Postar um comentário